domingo, 26 de fevereiro de 2012

Felicidade e produtividade

Shawn Achor, o professor da Universidade de Harvard que dá aulas sobre Psicologia Positiva, fala-nos acerca da Vantagem da Felicidade.
  
Apenas 25%  dos sucessos de emprego são previsíveis pelo QI (Quociente de Inteligência).
Os restantes 75% são previsíveis pelo nível de optimismo, pelo suporte social e pela capacidade de interpretar o stress como um desafio em vez de uma ameaça.

As empresas (assim como a nossa educação parental e escolar) partem do princípio de que “se eu trabalhar mais, vou ser bem sucedido, e se for bem sucedido vou ser mais feliz”. Esta afirmação está incorrecta por 2 razões:
- Nós queremos sempre mais. Se tiver boas notas, quero mais boas notas, se tiver um bom desempenho no trabalho, vou querer desempenhar ainda melhor. Por isso nunca estamos 100% bem sucedidos e se for assim, nunca atingimos a felicidade. Como sociedade empurramos sempre o “alcance da felicidade” sendo difícil de o atingir.
-Se partirmos do princípio que temos um mind set positivo, os níveis de inteligência aumentam, a criatividade aumenta, a energia também. E qualquer resultado a nível profissional melhora 31%, ou seja, o nosso cérebro é 31% mais produtivo.

Porquê? Por causa da dopamina:
-Torna-nos mais felizes;
-Activa os todos os “centros” de aprendizagem do nosso cérebro, de forma a que nos adaptemos ao mundo de forma diferente.

Portanto, como podemos ser mais positivos? Treinamos o nosso cérebro!
- Gratidão: agradecer 3 coisas novas que tenham acontecido por dia.
- Escrever sobre um acontecimento positivo que tenha acontecido nas últimas 24 horas.
- Fazer exercício físico.
- Meditar.
- Fazer actos de bondade: elogiar ou escrever uma carta a agradecer alguém da nossa rede social.

O objectivo é fomentar um tipo de pensamento positivo de forma a poder influenciar a forma como interpretamos o mundo (as nossas conquistas e os nossos problemas). Essa interpretação faz com que sejamos mais produtivos. 
Vale a pena promover este tipo de actividades (como a da Gratidão) na sua organização?
 Para os mais cépticos, relembro que existem inúmeros ou milhares de estudos empíricos que comprovam a eficácia das actividades acima referidas.