sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O que está mal no "Employee Engagement"?

Employee Engagement, ou melhor, um Funcionário Envolvido é quando um indivíduo está completamente envolvido e entusiasmado com o seu trabalho, e que age na direcção dos interesses da organização; é a ligação emocional positiva ao trabalho.

Quais os problemas principais nos Programas de Envolvimento do Funcionário? (os grandes problemas estão divididos em 5 categorias e dentro de cada uma estão as áreas que têm mais impacto)

1. Questões relacionadas com o impacto do negócio.
- O envolvimento e a satisfação podem contribuir para a produtividade mas não são produtividade, porque para isso é preciso haver formação, recursos e líderes.
- O envolvimento tem várias definições. Quando algo não está claramente definido, não pode ser medido com precisão.
- Apesar do aumento do envolvimento anteceder a uma boa performance da organização, é um erro assumir que o envolvimento causou uma melhoria na performance da mesma. O envolvimento é um derivado de outros factores de gestão que têm mais impacto.
- O ROI (return-on-investment) pode ser baixo: há uma série de custos associados ao envolvimento como os questionários dados aos funcionários, que necessitam de preenchimento, análise, interpretação e tudo isto custa dinheiro.
- Há factores externos que influenciam os níveis de envolvimento: custo de vida, crise, família.
- Existe uma série de evidências que constatam que os indivíduos conseguem desempenhar extremamente bem sem uma ligação afectiva à organização. Factores como profissionalismo, orgulho ou segurança no trabalho também aumentam os níveis de desempenho e a retenção na organização.
- Porquê medir emoções do que comportamentos? Acções e comportamentos podem ser observáveis e medidos, enquanto que as emoções são difíceis de observar e quantificar.

2. Questões relacionadas com as acções que tomamos para melhorar o envolvimento.
- Os questionários não nos dizem quais foram os responsáveis pelas alterações nos níveis de envolvimento.
- Quanto tempo vai demorar? Estamos a lidar com sentimentos e ligações emocionais, pode levar anos até aumentar os níveis de envolvimento permanentemente.
- Nem todos os factores/programas resultam como todos os funcionários. “One-site-fits-all” não resulta quando falamos de ligações emocionais, uma vez que as gerações são diferentes e, consequentemente as suas atitudes e expectativas, assim como a experiência de vida e as características demográficas.

3. Questões relacionados com os questionários.
- Respostas não fidedignas: por exemplo, só para agradar o chefe.
- Respostas anónimas: até que ponto sabemos que é representativo da população?
- O envolvimento é contratado ou desenvolvido? Durante o programa podem entrar novos funcionários para a empresa.

4. Questões relacionadas com os administradores.
- Os administradores e os funcionários geralmente não percebem o que é o envolvimento.
- Se o envolvimento não fazer parte dos relatórios padrão que chega aos administradores, estes dificilmente irão reconhecer o grande impacto deste factor na organização.
- Se as compensações e benefícios, bónus e promoções não incluírem os níveis ou resultados de envolvimento, dificilmente os administradores se irão focar nele. 

In "ERE.net"

Qualquer que seja a forma de gerir, não é focando apenas no factor envolvimento que iremos ter o próprio envolvimento assim como os factores geralmente associados a ele como: satisfação, produtividade, …É muito mais complexo que isso!
Tem de haver um agrupamento de condições como oferecer formação, ter melhores administradores, aumentar as compensações e benefícios e oferecer horários flexíveis, para desenvolver este tipo de atitude como o envolvimento e satisfação pelo trabalho.

E nós? Estamos envolvidos no nosso trabalho? Se sim, porquê?