segunda-feira, 12 de março de 2012

Entrevistar e conhecer o pensamento crítico do candidato





A competência “pensamento crítico” tem sido a primeira competência desejada para os líderes e outros contribuidores chave. Pessoas com esta competência:
- Compreendem com precisão os problemas;
- Analisam evidências;
- Fazem boas decisões.




Mas como determinamos a capacidade de pensamento crítico nos candidatos? Através de algumas questões durante a entrevista.
Questões comportamentais:
- Descreva uma situação complexa em que…
… teve de pensar acerca de um tipo de informação que entrava em conflito com o seu ponto de vista ou as suas crenças.
… teve de fazer uma escolha com base em resultados ou dados incompletos.
… teve de convencer outros a examinar outras abordagens acerca de um tópico duvidoso.

Questões follow-up (após a apresentação de uma determinada situação pelo candidato):
- Liste as suas hipóteses quando considera esta situação.
- Quais eram as suas reacções individuais?
- Descreva todos os resultados intencionais e não intencionais.
- O que faria de diferente para alcançar resultados semelhantes?

Questões situacionais:
- É atribuída uma tarefa a si e à equipa a que pertence, que consiste em identificar, analisar e reportar eficiências operacionais. Os dados fornecidos à equipa pelos administradores são aceites por todos os membros da equipa como sendo precisos, mas você encontra uma falha. Descreva, detalhadamente, como procederia.

Questões follow-up:
- Que hipóteses é que faz?
- Porque escolheu proceder dessa forma?
- Descreva todos os elementos que utilizou no processo da tomada de decisão.
- Lista 3 outras informações que seriam úteis para tomar uma decisão ou agir.

Aspectos a considerar quando avalia as respostas:
- Todas as perguntas permitem um espaço para errar.
- Decisões de contratação nunca deverão ser apenas baseadas nestas respostas.
- Para cada resposta, faça uma avaliação de 1 a 10 pontos. 


In "Greg Fall - ERE.net"

Até que ponto esta capacidade (pensamento crítico) é importante para os funcionários desempenharem o seu trabalho ou função?
Até que ponto avaliamos esta capacidade nos candidatos?