domingo, 29 de abril de 2012

A inteligência é sobrestimada?

Qual é a relevância do QI para o sucesso profissional?

Em relação a todos os outros quocientes, QE (Inteligência emocional), QM (Quociente moral) e BQ (Quociente corporal - bodily), o QI perde a sua força no campo do sucesso profissional.
O QI é necessário ou é quase como um pré-requisito para chegar ao topo em termos profissionais, contudo não é adequado para prever a competência executiva e o sucesso corporativo.

85% do sucesso advém da nossa “engenharia humana”, personalidade e capacidade para comunicar, negociar e liderar. Por isso, faz sentido incluir no nosso foco de desenvolvimento diferentes quocientes, como:
Inteligência emocional: significa ter consciência acerca dos nossos sentimentos e dos outros, regulando-os nossos, usando emoções adequadas às situações em si.
Como se desenvolve? Através de um controlo ou de um diálogo interno para compreender melhor os nossos pensamentos antes de se transformarem em acções.

Inteligência moral: lida com a integridade, responsabilidade, simpatia e perdão. Manter compromissos, a integridade e ser honesto.
Como é se desenvolve? Menos desculpas e mais responsabilidade sobre os próprios actos. Mostrar simpatia e demonstrar respeito pelos outros.

Inteligência corporal: o que sabemos acerca do nosso corpo, como nos sentimos e como cuidamos dele. Sabemos o que nosso corpo quer? Descansar, energia, exercício, alimentação? Todas estas questões afectam  o nosso trabalho, o nosso desempenho, sentimentos, auto-confiança, nível de energia e nosso estado da mente.
Como se desenvolve? Alimentação cuidada, exercício regular e uma boa manutenção da saúde.

Se dominarmos a complexidade destas inteligências, as investigações mostram que poderemos alcançar grande sucesso profissional.

In "Forbes"

Quais destas inteligências dominamos ou não temos muito controlo?
Qual é a relevância destas inteligências para o nosso trabalho?